Alimentação balanceada pode reduzir suas chances de desenvolver depressão em 50%

Muitas pessoas que sofrem com depressão não sabem que estão com o quadro, não sabem como e onde procurar ajuda, se sentem envergonhados pelo preconceito das pessoas, sentem-se fracos, são vistos como preguiçosos, pois infelizmente seus vínculos não entendem que se trata de uma doença muito séria.

De maneira bem geral a depressão é entendida como a tristeza que não passa e quimicamente a depressão é explicada por um defeito nos neurotransmissores responsáveis pela produção de serotonina e endorfina que nos dão a sensação de bem-estar.

Segundo a Nutricionista e Personal Trainer Tais Rímoli, uma rotina de exercícios e alimentação balanceada ajudam muito na profilaxia e no tratamento.

E quais são os sintomas da depressão?

- Tristeza profunda e contínua;
- Melancolia;
- Baixa autoestima;
- Choro frequente;
- Inquietação;
- Ansiedade;
- Cansaço exagerado, indisposição, sonolência;
- Falta de interesse por suas atividades;
- Sensação de fracasso;
- Distúrbios alimentares;
- Insônia;
- Pensamentos pessimistas e ou suicidas;
- Alterações digestivas;
- Alterações hormonais;
- Dores de cabeça frequentes;
- Tensão muscular e dores pelo corpo;
- Imunidade baixa.

O que desencadeia a depressão?

- Fatores genéticos;
- Sedentarismo;
- Alimentação incorreta, falta de nutrientes, restrições alimentares severas;
- Falta de apoio da família e amigos;
- Estresse;
- Limitações físicas;
- Gravidez e pós-parto;
- Transtorno bipolar;
- Doenças gástricas;
- Síndrome do intestino irritável;
- Depressão anterior;
- Vítimas de violência.

Entendemos aqui o quão grave é a depressão, que não se trata de frescura, que seus sintomas ultrapassam a tristeza, tendo alterações fisiológicas, químicas e deve ser orientada por um profissional devidamente habilitado, portanto quando se fala de tratamento entenda a seriedade da doença e procure orientação.

Mas além da orientação profissional o que mais podemos fazer?

Novos estudos indicam grandes relações entre alimentação e depressão, portanto uma pessoa que se alimenta bem tem menos chance de desenvolver depressão, bem como se a mesma praticar exercícios físicos e tudo com regularidade.

Não existe nenhuma grande novidade até aqui, mas o que será discorrido abaixo vai fazer você pensar melhor na hora de escolher seus alimentos.

Você já pensou que a escolha de alguns nutrientes na sua rotina alimentar pode reduzir suas chances de desenvolver depressão em 50%?

Vamos aos nutrientes importante e suas fontes:

- Triptofano e ômega-3: carne, peixe, frutos do mar, ovo, castanha, amendoim, ervilha, abacate, couve-flor, banana, grão-de-bico e abacate;
- Cálcio: leite e derivados;
- Ferro: carne vermelha, brócolis, espinafre, couve, grão-de-bico, lentilha, ervilha, feijão, tofu, algas, cereais integrais;
- Magnésio: chocolate, castanhas, amêndoas, sementes de abóbora, arroz integral, gérmen de trigo, aveia, abacate e banana;
- Complexo B: espinafre, couve manteiga, leite e derivados, fígado, frango, ameixa e melancia;
- Vitamina C: acerola, goiaba, abacaxi, laranja, limão, tangerina, amora, framboesa;
- Fibras: alimentos integrais, cereais, frutas, verduras, legumes.

Mas é claro que o segredo para que estes nutrientes cumpram o seu papel é a regularidade, bem como aliado às atividades físicas regulares também.

O mais curioso é o fato de que alimentos como frituras, ultraprocessados como salgadinhos, bolachas, fast food, bebidas alcoólicas, refrigerantes em excesso consumidos com regularidade e sedentarismo podem ajudar a desencadear a depressão!.

Então cada dia mais, estamos entendendo a real necessidade de se alimentar bem com regularidade e se exercitar para nossa saúde física e mental.

confira botao coluna 2

 

Histórico