Cidades das Regiões Serrana e do Caparaó vão perder 43 médicos cubanos

Na quarta-feira (14), Cuba anunciou a saída do programa social Mais Médicos no Brasil. Segundo comunicado do governo cubano, a decisão foi por causa das declarações "ameaçadoras e depreciativas" do presidente eleito Jair Bolsonaro. No Espírito Santo, são 219 médicos cubanos atuando, sendo que 43 deles atuam em 16 cidades das regiões Central e Sudoeste Serrana e do Caparaó.

Pelo Twitter, Bolsonaro informou que seu governo condicionou a continuidade do programa à aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos e liberdade de trazerem suas famílias para o Brasil. "Atualmente, Cuba fica com a maior parte do salário dos médicos cubanos e restringe a liberdade desses profissionais e de seus familiares. Eles estão se retirando do Mais Médicos por não aceitarem rever esta situação absurda que viola direitos humanos. Lamentável!", informou o presidente eleito em sua conta na rede social.

Saída

A saída dos médicos das terras capixabas deve ocorrer já nos próximos dias. Segundo informou o jornal A Gazeta, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) recebeu um aviso de alerta sobre a saída imediata dos cubanos. No entanto, a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), responsável pelos contratos, não tem condições de fretar aviões para retirar todos os profissionais de uma só vez, por tanto, eles deve sair à medida em que forem emitidas as passagens aéreas pela organização.

Veja o número de médicos cubanos atuando nas regiões Central e Sudoeste Serrana e Caparaó:

Afonso Cláudio 6
Santa Maria de Jetibá 5
Laranja da Terra 2
Itaguaçu 1
Santa Leopoldina 2
Domingos Martins 1
Brejetuba 3
Muniz Freire 2
Ibatiba 2
Irupi 1
Iúna 4
Ibitirama 2
Alegre 8
Jerônimo Monteiro 1
Guaçuí 2
São José do Calçado 1