Vereadores falam sobre o episódio do desaparecimento da cédula na Câmara de Domingos Martins

Na tarde de ontem (04), os vereadores Diogo Endlich (PV) e Nelson Soares (PDT), estiveram na Câmara Municipal de Domingos Martins, conversando com a reportagem do Portal Montanhas Capixabas, a respeito do desaparecimento da cédula, durante a terceira sessão extraordinária do ano de 2019.

Vereadores falam sobre o episódio do desaparecimento da cédula na Câmara de Domingos Martins

Pela segunda vez, o Legislativo martinense tentou definir o novo secretariado da atual Mesa Diretora que administra a Casa, através do voto secreto. Estavam inscritos os vereadores Heloisio (PATRIOTA) e Rogério Manzoli (PV) para a disputa da vaga de primeiro secretário e Nelson Soares “Peito Liso” (PDT) e Sandra Neitzke (PSC), para a de segundo secretário. Entretanto, participaram do pleito somente os vereadores Heloisio e Nelson, em virtude das desistências dos outros dois parlamentares.

Para o cargo de 2º secretário foram apurados seis votos favoráveis e sete em branco, sendo rejeitada a única candidatura oficializada. Já na disputa pela vaga de 1º secretário aconteceu algo inusitado durante a apuração dos votos: a falta de uma cédula de votação, fato que acabou anulando todo o processo eleitoral, como prevê o regimento Interno. Seria o voto de desempate, haja vista que haviam sido apurados seis votos favoráveis e seis votos em branco.

Vereadores falam sobre o episódio do desaparecimento da cédula na Câmara de Domingos Martins 3

Para o vereador Nelson Soares, este ato desfavorece o processo democrático e lamenta o ocorrido. “É muito triste se colocar a disposição da população e acontecerem atos covardes, pois somos homens e sabemos das nossas responsabilidades”, afirmou Peito Liso.

Segundo o Presidente da Câmara, o vereador Diogo Endlich, viu a perplexidade do público em relação ao fato da cédula ter sumido. A sessão estava em andamento, porém paralisada para a conferência dos votos. Foi quando, segundo o vereador, foi surpreendido com o desaparecimento do documento. “Não havia outra coisa a ser feita, senão anular a eleição, o que para nós, é algo muito vexatório”, relatou o Presidente.

Sumiu a moralidade?

O dicionário Houaiss da língua portuguesa diz que “bom” é o “moralmente correto em suas atitudes, de acordo com quem julga”. O Houaiss ensina que os valores morais são estudados pela ética, assim como, o princípio da moralidade é uma norma jurídica positivada ao nível constitucional e assim deve ser compreendida como integrante do sistema constitucional brasileiro, no qual as normas explicam-se umas às outras e assim celebram a harmonia e unidade da constituição.

Para os vereadores Diogo Endlich e Nelson Soares o que aconteceu na sessão é decepcionante, inconforme com os conceitos acima citados e questionam o representante municipal em questão, que desapareceu com uma cédula de votação. “Será que esta pessoa está realmente representando uma população?”, questionou o parlamentar.

Além disso, Diogo ressaltou que uma nova eleição deverá ser convocada pela presidência da Câmara, em data a ser definida.

Clique no link e assista a transmissão na íntegra:

https://www.facebook.com/montanhascapixabas/videos/713857149076402/