Estudantes das montanhas vencem olimpíada nacional de matemática

A última edição da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBMEP) colocou o Espírito Santo em quarto lugar no Brasil. Os estudantes premiados foram recepcionados pelo secretário de Estado da Educação, Vitor de Angelo, e equipe da Secretaria de Estado de Educação (Sedu), no Aeroporto de Vitória, na tarde desta terça-feira, no retorno de Salvador (BA), onde ocorreu a competição.

O aluno da Escola Victorio Bravim, em Marechal Floriano, Matheus Peterle Modolo, destacou que ganhar “ouro” foi fruto de persistência e preparação. “Eu procurei vários livros, provas antigas da OBMEP e estudei bastante para a segunda fase. A primeira vitória foi uma medalha de prata. Meu objetivo passou a ser a medalha de ouro e é essa que recebi na cerimônia de Salvador. Por meio da OBMEP, hoje, já consigo pensar no meu futuro em fazer engenharia. A OBMEP abre as portas para o futuro”, disse.

Henrique Bruno Kroling, também aluno da Escola Victorio Bravim, destacou que “participar das olimpíadas foi muito significativo, pois ela estimula os estudos da Matemática e também porque ela nos faz crescer e buscar o conhecimento e, cada vez mais vivenciar os desafios e aprender”, pontuou.

A mãe da aluna Ingrid Carolaine, 8º ano da Escola Ponto do Alto, em Ponto Alto, Domingos Martins, Fabiana Rettez Küster, era só orgulho. “Para nós é um orgulho de tê-la como uma das vencedoras dessa Olimpíada. Ela tem uma facilidade muito grande e um desempenho muito bom, temos que continuar apoiando”, disse.

O diretor da escola onde Ingrid estuda, Marcelo Ribett, também foi recepcioná-la e enfatizou que a escola está muito feliz em compartilhar com a aluna esse momento. “É uma sensação de dever cumprido. No nosso plano de ação utilizamos muito a parceria com as famílias. Nossa equipe está trabalhando sempre para que o plano faça sentido e engaje os alunos em todas as disciplinas para colaborar no aprendizado deles”, afirmou.

O secretário Vitor parabenizou os alunos e as equipes escolares envolvidas nessa conquista. “Gostaria de parabenizá-los pelo empenho e dedicação de todos vocês em alcançar essa vitória. Mas, também, não seria justo parabenizá-los sem mencionar o trabalho que, certamente foi o que, também, fez vocês chegarem aqui: o envolvimento dos seus professores. Eles que conseguiram aguçar ainda mais em vocês o interesse por essa área. Mais uma vez quero externar a nossa alegria em vê-los com essa medalha estampada no peito e dizer que é um motivo de muito orgulho para nós”, disse.

OBMEP no ES

No total, 195 alunos capixabas foram vencedores da OBMEP, sendo que 24 alcançaram a categoria Ouro. Esta é a 15ª edição da OBMEP, que teve recorde de inscrições no Espírito Santo. Ao todo, 980 unidades escolares se inscreveram, representando 92% das escolas públicas e privadas de todo Estado. Em relação aos alunos, o número passou de 314.662 para 317.501 estudantes, atingindo 100% dos municípios do Estado.

Da Rede Pública Estadual, oito alunos foram premiados. São eles: Álvaro Luiz Alves Vieira de Lima Borges, da Escola professora Elpidio Campos de Oliveira; Gabriel Seares Dellaroli, da Escola Monsenhor Elias Tomasi; Daniel Brunoro Krohling, Henrique Brunoro Krohling e Laysa Gilles Guidi, da Escola Victorio Bravim; e Samuel Rocha Gomes Costa, da Escola Antônio Carneiro Ribeiro.

Além dos 24 alunos que venceram na categoria ouro, outros 52 estudantes conquistaram a prata e 119 o bronze. A OBMEP também premiará com menções honrosas 1.309 alunos. De acordo com o assessor de Apoio Curricular da Secretaria de Estado da Educação (Sedu), Wellington Rosa de Azevedo, a OBMEP é mais uma ferramenta que estimula o estudo da matemática entre alunos e professores de todo o Brasil.

Realizada pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), com apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), a 15ª OBMEP somou mais de 18 milhões de estudantes inscritos.

“Ano a ano, os resultados dos estudantes capixabas são expressivos na OBMEP e de grande importância no que tange o desempenho e a melhoria do ensino da Matemática no Espírito Santo. Esse aumento é reflexo do esforço de todos em preparar os estudantes da rede pública para se destacarem em olimpíadas científicas nacionais”, explicou Azevedo.

Criada pelo Impa em 2005, a OBMEP é promovida com recursos do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e do Ministério da Educação (MEC).