Secretaria de agricultura de Marechal Floriano defende anistias para produtores rurais

A maturação dos grãos de café no período de fortes chuvas prejudicou a safra do arábica em Marechal Floriano, levando produtores ao endividamento. O problema climático impediu também o tradicional concurso de qualidade do café, e a anistia aos produtores é uma alternativa.

Os produtores estimam prejuízo e endividamento com os bancos credores após a colheita negativa. “Hoje isso nos prejudica muito com relação ao preço que o produtor vai estabelecer, e, portanto seu endividamento é quase certo”, explica o secretário municipal de agricultura, Sérgio Stein.

Secretaria de agricultura de Marechal Floriano defende anistias para produtores ruraisOs rumos vislumbrados pela Secretaria de Agricultura envolvem a anistia das dívidas contraídas pelos produtores rurais através dos créditos bancários. “Em decorrência de frustrações de safra, fatores climáticos, buscamos apoio para conseguirmos a anistia às dívidas desses produtores, pois o Estado do Espírito Santo já é simpático a esta idéia”, explica Stein.

O secretário refere-se às práticas de anistia realizadas pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento, semelhantes às da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), que oferecem anistia de até 90% dos investimentos dos produtores em determinados casos.

“Marechal está fora da área de atendimento deste modelo de anistia, mas queremos que ele possa ser estendido à Região Serrana, pois nossos produtores são muito responsáveis, e preservadores do meio ambiente. Infelizmente, o produtor endividado pode ser obrigado, por exemplo, acabar vendendo sua terra ou parte dela para quitar essas dívidas, o que nos preocupa”, explica Stein.

A Secretaria Municipal de Agricultura realiza reuniões com a Federação dos Trabalhadores da Agricultura no Estado do Espírito Santo (Fetaes), e com sindicatos rurais para tratar dos fatores climáticos que, desde 2015, atrapalham todos os segmentos da agricultura na região. A ideia é buscar apoio em Brasília para que ocorra a anistia com os bancos de crédito desses produtores, que pode ser realizada através do Banco Central.