GERAL POLÍTICA POLÍCIA TURISMO CULTURA AGRONEGÓCIO ESPORTE SAÚDE CLASSIFICADOS EVENTOS GUIA COMERCIAL
BUSCA   
ESCOLHA SUA CIDADE 21 DE JANEIRO DE 2017

 

Gastronomia

Histórico

 

 

03/09/2010

A gastronomia familiar

 

 

 

Minha filha me inspirou para eu escrever este artigo. Explico: ela trabalha na Ponta do Tubarão, em Vitória e, desde o começo deste ano, não tem mais tempo para almoçar em casa, como sempre fazia até então.


Como passei 15 anos de minha vida profissional almoçando quase todos os dias na empresa em que trabalhava, sei muito bem o que é isso, ou seja, fazer uma refeição preparada, mesmo que com muito carinho, numa cozinha industrial, que serve centenas diariamente.


Outro dia, ela teve um compromisso fora da empresa onde trabalha e queria aproveitar a oportunidade para almoçar lá em casa, junto conosco (eu, minha esposa, meu filho e minha nora), o que acabou não sendo possível devido aos atrasos “normais”, que ocorrem nos dias de hoje... Minha esposa, então, preparou-lhe uma “quentinha”, com aquele arroz soltinho, o feijão cremoso e bem temperado, a carne assada perfumada com alecrim e as verduras e legumes, frescos, do dia.


Ela, assim, passou lá em casa rapidamente, pegou seu “marmitex” e o levou para o trabalho, onde, segundo depois me contou, “traçou-o” como quem estivesse participando de um banquete! Seu comentário: “Nada como saborear um feijão com arroz fresquinho, feito em casa!” Esta foi a minha fonte de inspiração.


Quem é que não possui na memória um registro olfativo daquele feijão cozinhando na panela de pressão quando chegava em casa, vindo do colégio, para almoçar? E daquele simples bife acebolado caprichadamente sendo preparado, cujo aroma invadia toda a casa? Ou, ainda, do perfume exalado pelo molho à bolonhesa que acompanhava o espaguete fumegante quando chegava à mesa?

 

             

 

Essa é a que eu chamo de “gastronomia familiar”, ou seja, aquela que convivemos na infância, com toda família participando de momentos alegres e descontraídos, sempre em volta da mesa, seja nos dias úteis ou nos feriados e finais de semana, quando então participavam, também, parentes ou amigos para compartilhar da boa comida.


Exemplos marcantes todos nós temos, também, dos almoços familiares que aconteciam na casa de nossos avós, quando, normalmente, as mulheres se dedicavam às preparações na cozinha, de onde vinham aquelas maravilhosas e apetitosas lasanhas, ou a saborosa carne assada com molho ferrugem ou sei lá mais o quê...


Os homens aguardavam pacientemente a mesa ser servida, enquanto conversavam ou entretinham os pequenos e, depois da lauta refeição de que tinham participado, abusavam dos merecidos elogios às representantes do sexo feminino que tanto tinham se esforçado para satisfazer nossos paladares.

 

            

                          
Eu luto para preservar esta cultura. Sei que não é fácil, pois os compromissos profissionais assumidos por todos no dia a dia impedem que, eventualmente, consigamos nos reunir como gostaríamos. Mas temos que fazer esforços para não descontinuar estas oportunidades.


Nos finais de semana, por exemplo, não abro mão de preparar o almoço, pelo menos nos domingos, e saborearmos juntos um prato às vezes simples, como uma boa macarronada, ou outro algo mais rebuscado, como um salmão grelhado com algum molho especial, por exemplo.


O importante, para mim, é que, além de juntar a família, se consiga resgatar a memória daqueles bons tempos que, infelizmente, não voltam mais.

 

 

 

 

 

Silvia Regina Aureliano

04/09/2010
07h42

Parabens!!!! Lindo e primoroso, realmente nao temos mais aqueles almoços em ficavamos na mesa praticamente a tarde toda de Domingo. Abraços, Silvia e Carlos


Reportar abuso

Cristina Ramos

04/09/2010
10h26

Lindo, maravilhoso e, também, poético artigo!!! Adorei... Remeteu-me à adolescência...quando éramos felizes e não dávamos conta!!!!!!!!!!!!!! Continue escrevendo mais e mais...seus artigos são "deleite" p/ a alma...e,certamente p/ outros sentidos também...Abraços apetitosos, sua irmã preferida!!!


Reportar abuso

NOSLEN SALLES

16/09/2010
10h46

Mario, 1,2 feijão com arroz,3,4 farinha no prato 5,6 coma outra vez..! Foi assim que foram dados os primeiros passos da gastronomia..! Vc está coberto de razão....!Ou de molho bolonhesa..??!! rsrsrsr.! Parabéns sua coluna está no ponto..! Noslen Salles(igualmente chef de cuisine aos Domingos)


Reportar abuso

 

 
2016 (1)
 

Maio (1)

 

 

» Sem tempero não dá!...

2015 (4)
2014 (3)
2013 (6)
2012 (12)
2011 (12)
2010 (15)

 





GERAL POLÍTICA POLÍCIA TURISMO CULTURA AGRONEGÓCIO ESPORTE SAÚDE CLASSIFICADOS EVENTOS GUIA COMERCIAL
BUSCA   
Termo de Uso | Política de Privacidade | Anúncios Publicitários | Contatos

© 2009 Montanhas Capixabas - Todos os direitos reservados