GERAL POLÍTICA POLÍCIA TURISMO CULTURA AGRONEGÓCIO ESPORTE SAÚDE CLASSIFICADOS EVENTOS GUIA COMERCIAL
BUSCA   
ESCOLHA SUA CIDADE 22 DE JANEIRO DE 2017

 

Gastronomia

Histórico

 

 

26/11/2015

Chocolate!

 

 



A história do chocolate remonta às civilizações que habitavam o México, a América Central e parte da América do Sul, há mais de 3.000 anos! Os astecas, naquela época, preparavam uma bebida amarga à base das sementes do cacau fermentadas que, diziam, combatia o cansaço, além de ser afrodisíaca... Ela era consumida somente pelos nobres e, principalmente, para fins cerimoniais.
 

Com a chegada dos conquistadores espanhóis às Américas, no final do século XV, estes navegadores levaram sementes do cacau quando de seu retorno à Europa e as ofereceram aos Reis da Espanha. Estes começaram a tomar gosto pela bebida e a desenvolveram. Surgiram “Casas de Chocolate”, similares às cafeterias, onde iam apreciá-la. 

As plantações de cacau não tiveram sucesso na Europa, pois necessitam de clima tropical, então os “empresários do cacau”, na ocasião, levaram as sementes para suas colônias, tanto nas Américas quanto na África. Hoje os maiores produtores e exportadores de cacau são: Costa do Marfim, Indonésia, Gana, Nigéria e Brasil. E, por incrível que pareça, os melhores chocolates do mundo são os suíços e os italianos, dentre outros!

Em termos nutricionais e de saúde, tem seus prós e contras, assim como tudo na vida. Como é um alimento bastante calórico, deve ser consumido com moderação. Por outro lado, possui uma substância denominada “teobromina”, que exerce uma ação energética que incide na concentração e capacidade física de quem o consome em quantidades moderadas.

Mas vamos ao que mais interessa, ou seja, aos produtos preparados com chocolate. Talvez os mais conhecidos deles sejam as “barrinhas”, atualmente oferecidas com varias porcentagens de cacau, misturadas com leite, amêndoas ou nozes trituradas, amendoim, flocos de cereais, coco ralado, pistache e milhares de opções mais, assim como de centenas de fabricantes em diversos países!
   

O chocolate é pródigo na elaboração de sobremesas, sejam pudins ou mousses, petits gâteaux (lê-se “peti gatô”: são aqueles bolinhos assados por fora que, quando os partimos, o chocolate do seu interior está derretendo e escorre), ou as profiteroles (bolinhas de massa recheadas com sorvete de creme e cobertas com uma calda espessa de chocolate quente!).
        
       

Dos bolos poderíamos enumerar dezenas de receitas diferentes, com diversas formas, coberturas e recheios. O mais tradicional e simples é aquele que pode ser preparado rapidamente, para se degustar com uma geléia por cima. Mas o que mais aprecio é o “Floresta Negra”, de origem alemã, feito com massa à base de chocolate, recheado e coberto com cerejas, de preferência frescas, raspas de chocolate e creme chantilly!
    

Todos os países, eu acho, têm receitas usando chocolate. Na França encontramos os “éclairs” (aqui chamamos de “bombas” de chocolate), uma massa recheada com um creme de baunilha e coberta com chocolate ao leite derretido, assim como o “soufflés”, estes preparados com claras de ovos batidas em neve, depois misturadas cuidadosamente com um creme de chocolate derretido e gemas, enformado individualmente em ramequins, assado no forno pré-aquecido por, aproximadamente, 45 minutos, até inflar e formar uma crostinha crocante por cima (temos que servi-lo imediatamente ao ficar pronto, senão ele “murcha”...). 
      

Na Itália prepara-se um “salame de chocolate”, nada mais nada menos que chocolate em pó misturado com leite condensado e manteiga até formar uma massa firme, quando então é enrolada com biscoitos Maria ou maisena triturados grosseiramente e colocada no congelador. Da Suíça vem o “fondue”: derrete-se chocolate com creme de leite numa panelinha própria, que vai à mesa sobre um réchaud que fica aceso para mantê-lo aquecido e espetam-se pedaços de frutas frescas, como morangos, bananas, kiwi ou mesmo de bolo, mergulham-se no chocolate derretido e...
   

Dos Estados Unidos da América vem os “brownies”, um bolo achatadinho crocante por fora e macio por dentro, normalmente servido ainda quentinho, e os “cookies”, um tipo de biscoito em forma de disco recheado com bolinhas de chocolate que derretem quando a massa vai para o forno!
 

Então, se a temperatura ambiente estiver muito alta, peça um sorvete de chocolate, se possível um italiano... Entretanto, se estiver fazendo muito frio, nada mal uma caneca de um belo chocolate quente, cremoso, fumegante, que aquece até a alma!
     

Ele também está presente em festas, como a Páscoa, onde o coelhinho deixa ovos de chocolate escondidos para as crianças procurarem e se alegrarem quando os encontram e os saboreiam e, no Dia dos Namorados, é de muito bom gosto presentear sua “cara-metade” com uma bela caixa de bombons, concordam?
   

Ainda falando em festas, o Brasil tem um ícone: o tradicional e querido “brigadeiro”. Este não pode faltar nas infantis e, atualmente, também faz parte das mesas de saída das comemorações de casamentos, bodas, noivados e aniversários de 15 anos! Com a criatividade dos brasileiros já surgiram os brigadeiros “gourmets”, os “de colher”, a torta-brigadeiro, os “de caneca”, etc... Também são frequentes, nestas oportunidades, as trufas, bolinhas cobertas com cacau em pó, ao invés de com confeitos do próprio chocolate...
       

Além disso tudo, já surgiram novidades, como as cervejas artesanais saborizadas com chocolate e, não tão novos assim, os licores, artesanais ou industrializados.
                   

Existem algumas incursões em pratos salgados utilizando o chocolate, como, por exemplo, o “frango inca”, onde filés cortados em tiras são grelhados e cobertos com um molho espesso elaborado com cebolas picadas, chilli em pó, cominho, canela, molho de tomates e chocolate meio-amargo derretido! E uma massa que possui chocolate em pó que vai misturada à farinha de trigo e ovos em sua confecção. Depois de cozido, da maneira tradicional, é coberto com um molho branco enriquecido com chocolate derretido! 
      

Para finalizar, vamos falar de chocolate e harmonização com vinhos: segundo os especialistas e “someliers”, o vinho do Porto é a única bebida que é capaz de acompanhar bem um doce que contenha chocolate. Outros “entendidos” já estão afirmando que estas novas cervejas saborizadas vão bem, também. Então só nos resta experimentar! 
 

E até a próxima!
 

 

 

 

 

Lenize

28/11/2015
13h37

Lindo texto. Leitura agradável com um pouco da história do chocolate e belíssimas (e gostosas) sugestões. Adeus regime, vou comer um chocolate. Abraços.


Reportar abuso

MARIO LUIS MARTINS DE ALMEIDA

30/11/2015
14h51

Obrigado, Lenize! Assim me dá vontade de escrever mais e mais! Abraço, Mario.


Reportar abuso

 

 
2016 (1)
 

Maio (1)

 

 

» Sem tempero não dá!...

2015 (4)
2014 (3)
2013 (6)
2012 (12)
2011 (12)
2010 (15)

 





GERAL POLÍTICA POLÍCIA TURISMO CULTURA AGRONEGÓCIO ESPORTE SAÚDE CLASSIFICADOS EVENTOS GUIA COMERCIAL
BUSCA   
Termo de Uso | Política de Privacidade | Anúncios Publicitários | Contatos

© 2009 Montanhas Capixabas - Todos os direitos reservados