GERAL POLÍTICA POLÍCIA TURISMO CULTURA AGRONEGÓCIO ESPORTE SAÚDE CLASSIFICADOS EVENTOS GUIA COMERCIAL
BUSCA   
ESCOLHA SUA CIDADE 21 DE JANEIRO DE 2017

 

Sexo & Prazer

Histórico

 

 

24/04/2015

Um homem sem orgasmo

 

 






Quando o homem não consegue ter um orgasmo, sente uma grande insatisfação sexual, angústia e constrangimento.

É um pouco difícil imaginar um homem que apresenta dificuldade repetida de atingir o orgasmo e a ejaculação. De fato, quando falamos de “anorgasmia”, costumamos imaginar uma mulher. Afinal, o orgasmo feminino é aprendido e, em geral, requer uma série de estímulos e condições que a mulher e seu parceiro devem conhecer. No caso do homem, essa fase da resposta sexual é alcançada de forma mais automática, e a maior dificuldade está na demora em atingi-la.

Quando o homem não consegue ter um orgasmo, sente uma grande insatisfação sexual, angústia e constrangimento. A mulher também sofre o impacto, exatamente por saber que não se trata de uma situação comum. Em sua mente, ela começa a criar diferentes teorias que, em geral, não condizem com a realidade.

Vamos à definição de anorgasmia masculina: é a dificuldade do homem de alcançar o orgasmo e a ejaculação, apesar de contar com um bom estímulo sexual, tanto em qualidade e quantidade, como em duração. Para que seja considerada uma disfunção sexual, ela deve ocorrer durante um período mínimo de seis meses e em pelo menos um em quatro encontros sexuais.

As causas? Podem ser várias e combinadas: inibições, traumas sexuais, transtornos psicológicos (estresse, ansiedade, depressão, transtorno obsessivo-compulsivo), efeitos secundários de medicações (sobretudo psicofármacos), hábitos masturbatórios não convencionais, conflitos de casal, transtornos urológicos congênitos ou doenças, entre outras.

A anorgasmia masculina é tratável e exige alguns passos básicos: avaliação médica, diagnóstico psicológico, avaliação do estímulo sexual e do relacionamento do casal, em suma, uma abordagem multidisciplinar. Recomendamos começar com uma consulta a um especialista em sexologia, que fará as associações correspondentes. Os tratamentos baseiam-se na resolução das causas básicas da anorgasmia, por exemplo, a troca de medicamentos que podem afetar o orgasmo. Em seguida, recorre-se a diferentes técnicas de estimulação física e psicológica, individuais e em dupla, para melhorar o rendimento orgásmico e a qualidade das relações sexuais.

Existem ainda alguns casos especiais:

• O orgasmo sem ejaculação ou “orgasmo seco”, que consiste em atingir as sensações e contrações musculares do orgasmo, sem expulsão do sêmen.
• A anedonia ejaculatória, que é a ejaculação com pouca ou nenhuma sensação de prazer.
• A astenia ejaculatória, quando o homem ejacula com pouca força durante a expulsão.

Nesses casos, as causas costumam ser médicas e deve-se consultar um urologista.
 

 

 

 

 

Ayres Junior

28/05/2015
11h50

Muito boa essa matéria, Flaviane !!!


Reportar abuso

 

 
2016 (9)
 

Dezembro (1)

 

 

» Sexo é prioridade?...

 

Novembro (1)

 

 

 

Agosto (1)

 

 

 

Julho (1)

 

 

 

Maio (1)

 

 

 

Abril (1)

 

 

 

Março (1)

 

 

 

Fevereiro (2)

 

 

2015 (8)
2014 (18)

 





GERAL POLÍTICA POLÍCIA TURISMO CULTURA AGRONEGÓCIO ESPORTE SAÚDE CLASSIFICADOS EVENTOS GUIA COMERCIAL
BUSCA   
Termo de Uso | Política de Privacidade | Anúncios Publicitários | Contatos

© 2009 Montanhas Capixabas - Todos os direitos reservados