GERAL POLÍTICA POLÍCIA TURISMO CULTURA AGRONEGÓCIO ESPORTE SAÚDE CLASSIFICADOS EVENTOS GUIA COMERCIAL
BUSCA   
ESCOLHA SUA CIDADE 21 DE JANEIRO DE 2017

 

Palavra Crônica

Histórico

 

 

02/03/2015

Tragédia no Parque

 

 



FEIRANTE É ACUSADO DE MATAR CASAL DE AMIGOS EM UM PARQUE DE DIVERSÕES

Um feirante de nome José foi preso ontem, domingo, no Parque da Beira do Rio, acusado de matar a golpes de faca um casal de amigos, por motivo de ciúmes. As vítimas foram João, operário da construção civil, e sua namorada, Juliana.

Ciúmes. Segundo frequentadores do local, José teria se apaixonado por Juliana, namorada de seu amigo João, no momento em que chegou ao parque e, movido por ciúmes, teria cometido o crime. “Ele pareceu ter ficado louco”, disse uma pessoa que não quis se identificar. “O tempo todo ficou perto do casal, sem se desgrudar deles um minuto. Até quando os dois foram para a roda-gigante ele ficou lá em baixo, vigiando”.

Rei da Brincadeira. José era feirante da região. Considerado pacato por seus fregueses, tinha o apelido de “rei da brincadeira”. De acordo com conhecidos do acusado, José tinha o hábito de guardar sua barraca e sumir no fim de semana, indo para o parque, naquele dia. “Eu resolvi ir para o parque e acabei encontrando meu amigo João. Não sei o que deu em mim. Perdi a cabeça ao ver a Juliana e me apaixonei. Ela estava com um sorvete e uma rosa na mão que pareciam girar dentro do meu peito”, disse o acusado.

O feirante esperou que o casal descesse de uma roda-gigante e desferiu nas vítimas vários golpes com uma faca que trouxera da feira. Primeiro, partiu para cima de Juliana e, em seguida, de João, que ainda tentou resistir ao ataque. Conhecido como “rei da confusão”, o operário era temido por praticar capoeira, mas nem assim pôde se esquivar dos golpes certeiros de José, vindo a cair morto ao lado do corpo de sua namorada.

O acusado foi preso em flagrante delito no local pela segurança do parque, sendo encaminhado até o DPJ local, sob alegação de homicídio qualificado, infringindo o artigo 121, parágrafo segundo do Código Penal. Se indiciado, poderá pegar de 12 a 30 anos de prisão e pena em regime de reclusão.
 

 

 

 

 

 

 
2017 (1)
 

Janeiro (1)

 

 

» A bagagem de ano novo...

2016 (19)
2015 (20)
2014 (11)

 





GERAL POLÍTICA POLÍCIA TURISMO CULTURA AGRONEGÓCIO ESPORTE SAÚDE CLASSIFICADOS EVENTOS GUIA COMERCIAL
BUSCA   
Termo de Uso | Política de Privacidade | Anúncios Publicitários | Contatos

© 2009 Montanhas Capixabas - Todos os direitos reservados