GERAL POLÍTICA POLÍCIA TURISMO CULTURA AGRONEGÓCIO ESPORTE SAÚDE CLASSIFICADOS EVENTOS GUIA COMERCIAL
BUSCA   
ESCOLHA SUA CIDADE 22 DE JANEIRO DE 2017

 

Vida Saudável - Dicas de Saúde

Histórico

 

 

29/08/2014

Conheça as sete doenças bucais mais comuns causadas pelo fumo

 

 

 

Na véspera do Dia Nacional de Combate ao Fumo, celebrado em 29 de agosto, saúde bucal ganha cada vez mais atenção. Porém, poucas pessoas conhecem quais as principais doenças causadas pelo tabagismo.
 
Boa parte da população já sabe que o fumo pode causar uma série de doenças e compreende que esse não é um hábito saudável. Porém, poucas pessoas conhecem quais são as sete doenças bucais mais comuns causadas pelo tabagismo. Para explicar essas patologias e de que forma elas nos afetam, conversamos com a Dr. José Henrique de Oliveira, cirurgião dentista e diretor de Operações do INPAO Dental.
 
1- Comprometimento dos tecidos periodontais (gengivais);
 
Por possuir quase cinco mil compostos químicos, o cigarro afeta diretamente os tecidos periodontais, responsável por todo o sistema de implantação e suporte dos dentes. Entre os principais problemas estão a diminuição da vascularização; a alteração da resposta inflamatória e imunológica; o aprofundamento das bolsas periodontais e as interferências em cicatrizações pós- terapias.
 
2- Guna (Gengivite Ulcerativa Necrosante Aguda);
 
A Guna, também conhecida como Gengivite Ulcerativa Necrosante Aguda, é uma doença periodontal relativamente incomum. Ela se manifesta em pacientes jovens na presença de estresse associada à má higiene bucal. Entre as suas principais características clínicas podemos incluir úlceras, necrose, dor e sangramento da gengiva.
 
3- Manchas nos dentes
 
Apesar de não ser considerada exatamente uma doença, o cigarro contribuiu para a geração de manchas na parte de fora dos dentes, problema que incomoda muita gente devido a questão estética. Para resolver, muita gente abusa do clareamento dental, quando o mais correto é parar, ou pelo menos reduzir, não apenas o consumo de cigarro, mas também de alimentos como o café, chá e bebidas com corantes artificiais. 
 
4- Candidíase
 
Conhecida popularmente como “sapinho”, essa doença é caracterizada pela presença de áreas brancas facilmente removidas. Ocorre em pacientes com deficiência imunológica, corticóide terapia ou fatores locais como o uso de próteses e má higiene bucal. Para resolver esse problema, consulte seu médico para prescrever um enxaguatório bucal antifúngico ou pastilhas (clotrimazol).
 
5- Xerostomia
 
A sensação constante de boca seca, consequência ou não da alteração na quantidade e qualidade da saliva, também é resultado do hábito de fumar. Para a maioria dos pacientes só pode ser oferecido alívio sintomático, melhorando a higiene bucal rígida e um controle na dieta. Porém, em casos mais agudos, é necessário reativar a secreção das glândulas salivares com tratamento químico e acompanhamento do cirurgião dentista.
 
6- Halitose
 
A halitose é uma condição anormal do hálito e indica um desequilíbrio local ou sistêmico. O fumo contribui para exacerbar o odor, favorecendo a descamação e redução do fluxo salivar. Por sua vez, esse problema propicia a formação da saburra lingual, a popular língua branca, causada por uma placa bacteriana esbranquiçada, que se forma no fundo da língua.
 
7- Câncer bucal
 
Por fim, e com certeza a doença mais fatal, o câncer de boca é uma patologia mais comuns entre os fumantes. O crescimento anormal e desordenado de massa ou tecido, pode ser maligno ou benigno. Entre as suas principais características clínicas estão a úlcera; o surgimento de bordas nítidas elevadas e endurecidas; e o sangramento fácil.
 
Vale lembrar ainda que quem fuma pode perder os dentes muito antes de alguém que não tem o vício, já que uma das consequências do tabagismo é o agravamento das doenças periodontais, que afetam as gengivas e os ossos ao redor dos dentes. “Para minimizar os riscos de desenvolver essas doenças, o ideal é que o fumante visite a cada seis meses seu cirurgião dentista para prevenir eventuais lesões ou possibilitar uma intervenção precoce, caso seja necessário”, afirma o Dr. José Henrique de Oliveira, diretor de Operações do INPAO Dental.
 
Fonte: www.dino.com.br
 

 

 

 

 

 

 
2016 (13)
 

Setembro (1)

 

 

» O diagnóstico de câncer d...

 

Agosto (1)

 

 

 

Julho (1)

 

 

 

Junho (3)

 

 

 

Maio (1)

 

 

 

Abril (2)

 

 

 

Março (1)

 

 

 

Fevereiro (2)

 

 

 

Janeiro (1)

 

 

2015 (12)
2014 (12)
2013 (8)
2012 (5)
2011 (10)
2010 (7)

 





GERAL POLÍTICA POLÍCIA TURISMO CULTURA AGRONEGÓCIO ESPORTE SAÚDE CLASSIFICADOS EVENTOS GUIA COMERCIAL
BUSCA   
Termo de Uso | Política de Privacidade | Anúncios Publicitários | Contatos

© 2009 Montanhas Capixabas - Todos os direitos reservados